música

52 álbuns em 52 semanas #6 Mês de Maio

terça-feira, junho 20, 2017


Minha vida está uma correria nas últimas semanas e mais uma vez estou aqui atrasada com o post do desafio. Me mudei, tô em final de período na faculdade e cheia de outros problemas pra resolver. Mas antes tarde do que nunca né? Então vamos lá conferir as indicações do post do mês anterior:

Ranniery: Caravan Palace - <|°_°|>
Gislaine Motti: Scalene
Débora Vicente: Halestorm - The Strange Case Of...

Obrigada pelas sugestões!

Nesse mês, ouvi todas as sugestões que me indicaram. Gostei de tudo e estava ansiosa pra compartilhar minha opinião com vocês ;)

Título: <|°_°|> 
Artista: Caravan Palace 
Lançamento: Outubro de 2015
Gênero: Electro Swing 
Gravadoras: 
  • Wagram Music,
  • MKVA
  • Le Plan Recordings
  • Produção: Wax Tailor 







    Primeiro de tudo: que nome criativo pra um álbum! haha Eu já conhecia uma música desse álbum (essa do vídeo abaixo) e tinha curtido bastante. Nunca ouvi muito Electro Swing, o que fez com que a experiência de ouvir esse álbum fosse bem interessante. Adorei!



    Título: Éter
    Artista: Scalene 
    Lançamento: Maio de 2015
    Gênero: Stoner Rock, Metal Alternativo
    Gravadora: SLAP
    Produção: Diego Marx, Lampadinha 







    A Gislaine Motti não me indicou nenhum álbum especifico da banda Scalene, então fui lá no spotify e ouvi esse, chamado Éter. Admito que não sou muito fã do estilo de vocal deles, mas gostei de conhecer uma banda brasileira, que inclusive ganhou um Grammy com esse álbum. A música que mais me agradou foi O peso da pena: 



    Título: The Strange Case Of... 
    Artista: Halestorm 
    Lançamento: Abril de 2012
    Gênero: Metal Alternativo, Hard Rock, Heavy Metal
    Gravadora: Atlantic Records 
    Produção: Howard Benson







    Débora Vicente, essa tua indicação me salvou! Sério, fazia tempo que eu não curtia tanto um álbum desse gênero. Tô viciada, não paro de ouvir, principalmente as três primeiras músicas, haha Admito que não curti muito algumas músicas do álbum, que tem um estilo meio "baile de colegial", mas houveram outras que amei total, tipo essa aqui:



    Título: 4 Your Eyez Only  
    Artista: J. Cole 
    Lançamento: Dezembro de 2016
    Gênero: Hip - Hop
    Gravadoras: Dreamville RecordsRoc Nation e Columbia Records 
    Produção: !llmind, BLVK, Boi-1da, Cardiak, Chargaux, Childish Major, Deputy, Elijah Scarlett, Frank Dukes, Nate Fox, Nate Jones, Nico Segal, Peter Cottontale, Ron Gilmore, Theo Croker, Velous Vinylz


    Esse álbum foi uma das indicações aleatórias do Spotify, que acertou em cheio no tipo de hip-hop que gosto. Eu não conhecia o J. Cole antes e esse álbum me deixou afim de ouvir outros trabalhos dele. O álbum tem músicas bem diversas, variando entre letras criticas e românticas. Amei <3


    É isso pessoal!
    Ainda dá tempo de me indicar álbuns pra esse mês, então deixa sua sugestão nos comentários!
    xoxo

    literatura

    Resenha: Diga aos lobos que estou em casa (Carol Rifka Brunt)

    sexta-feira, junho 02, 2017


    Hoje eu vou resenhar um livro que já li a alguns meses, mas que ficou na minha estante por quase um ano antes de ser lido. Diga aos lobos que estou em casa é o romance de lançamento da autora Carol Rifka, novaiorquina que atualmente mora na Inglaterra. Queria começar dizendo que esse foi um dos livros que demorei mais tempo pra ler, e não por ter quase 500 páginas: a verdade é que a leitura foi um pouco difícil, e não consegui me prender de imediato. Mas vamos lá conhecer sobre o enredo!


    A história se passa no ano de 1987, e tem como protagonista a June Elbus, de 14 anos. Ela vive com os pais e a irmã mais velha Greta, mas sente que nenhum deles a compreende. A única pessoa com quem ela sente que pode ser ela mesma é com o seu tio Finn, um pintor renomado e de personalidade distinta. Quando então o tio morre precocemente de uma doença que ninguém se sente confortável em falar, o mundo de June desaba. 
    No decorrer do tempo, a menina vai se apegando às memórias deixadas pelo tio. Antes de morrer ele havia pintado um intrigante quadro dela e da irmã, com quem não nutre uma boa relação. Além disso, June conhece uma pessoa que descobre compartilhar da mesma saudade que ela sente pelo tio: Toby. Ele que, disfarçado de carteiro, entrega para ela o antigo bule de chá de Finn junto a um bilhete pedindo para encontrá-la, se torna responsável por curar um pouco a sua dor e faz June repensar sobre como vê o tio e a própria família.  


    Gostei bastante da protagonista do livro. A June reúne traços infantis da idade e ao mesmo tempo, características maduras e interessantes, como o seu amor pela era medieval. Entretanto, achei os relacionamentos da história um pouco confusos. O livro consegue trazer uma mensagem interessante, mas tem um enredo difícil de fluir. Teve momentos que odiei alguns personagens, inclusive a June, haha Mas deu pra acompanhar um desenvolvimento deles que foi bem válido. 


    Me senti feliz em terminar um livro que relutei tanto pra ler, e recomendo a quem procura uma leitura que fale sobre amor, perda e perdão. Quanto a diagramação a editora Novo Conceito conseguiu trazer um ótimo acabamento, e uma capa que considero linda! Por isso então está de parabéns <3

    É isso pessoal!
    Me contem nos comentários se já conheciam o livro e o que acharam da resenha!
    xoxo

    conhecimento

    Vou te contar: como apresentar um bom seminário

    quarta-feira, maio 17, 2017

    A vida de estudante não é fácil e muitas vezes nos faz passar por situações em que não nos sentimos à vontade, não é mesmo? Sei bem como é isso: tô no 6º período da faculdade e cada semestre é um sofrimento diferente, haha Mas a verdade é que todas as experiências que vamos tendo em nossos anos de estudo, seja no ensino fundamental ou no superior, são muito ricas. Mas uma coisa é consenso pra a maioria dos estudantes: eles odeiam apresentar seminários. Diferente dessa maioria eu normalmente curto esse método de avaliação, e por conta disso nunca tive muitos problemas com apresentações. Hoje resolvi então compartilhar as minhas dicas com vocês :) 


    Antes de tudo, é importante considerar que nem todo seminário é igual. Nessa semana mesmo eu tenho um que vai ser em dupla, com mais ou menos 2 horas de duração. Mas as vezes pode rolar de forma individual ou num grupo maior, com mais ou menos tempo, e seguindo um roteiro diferenciado. Entretanto acredito que as dicas que darei aqui são bem gerais e podem ajudar em qualquer situação.

    1. Prepare-se bem (e não decore falas)


    Eu nunca fui boa com decorar textos, então acabei tendo sempre que estudar bem antes de apresentações. Com o tempo descobri que isso era uma vantagem por que me fazia aprender sobre o que eu tava falando, e não apenas decorar por um período de tempo. Por exemplo, eu duvido muito que você ainda lembre sobre o que falou nas feiras de ciências da escola, onde a maioria das pessoas decora "falas". O ideal é realmente pesquisar sobre o assunto, pesquisar textos, imagens, tudo que possa te ajudar a compreender sobre o que precisa falar. Na hora, não se preocupe: é só falar o que entendeu.

    E se eu não entendi nada? 

    Considerando que você não deixe pra estudar de última hora, vale mandar um e-mail pro professor(a) com suas dúvidas assim que você perceber que não está entendendo, pra dar tempo de ele/ela te responder e ajudar. Procure sempre também fontes diferentes e até mesmo fóruns da internet. Eu gosto muito do Passei Direto, que uso desde o ensino médio e o Quora, que comecei a participar mais recentemente 

    2. Faça uma boa apresentação


    Esse ponto vai depender dos recursos que você pode utilizar. No caso de uma apresentação com slides, vale ser criativo e até mesmo fugir do bom e velhor Power Point. Uma boa plataforma é o Canva, que uso muitas vezes para as ilustrações dos posts aqui no blog (como a primeira imagem desse post!) e o Prezi, que permite construção de apresentações bem dinâmicas. Se não for utilizar esse recurso, ou quiser utilizar outros junto a este, dá pra levar fichas impressas pra entregar aos outros integrantes da turma para que interajam melhor com o assunto, usar cartazes, anotações no quadro... enfim, as possibilidades são diversas!

    IMPORTANTE: Se for utilizar qualquer recurso eletrônico teste tudo antes da hora da apresentação, para minimizar a possibilidade de imprevistos nesse sentido.

    3. Seja você mesmo


    Sério gente, não tenham medo disso. Não pensem que para apresentar um bom seminário vocês tem que incorporar um professor ou alguém fazendo um discurso. Tente agir com naturalidade, explicar o que entendeu e interagir com a turma. Eu particularmente não curto a ideia de focar na parede no fundo da sala ou em um só colega. Tente olhar para todos, inclusive para o professor. Deixe um copo d'água por perto para dar um gole caso bata um nervosismo repentino, e procure lembrar que aquilo não vai durar sua vida toda. É só um momento de avaliação! E com a prática, apresentar seminários vai ficando mais fácil, te garanto. 

    É isso pessoal! Agora tenho que ir estudar mais para a minha apresentação, haha
    Me contem nos comentários quais os problemas/dicas de vocês!
    xoxo

    Pinterest

    Parceiro