harry potter

Voldemort: Origins of the Heir – Impressões de uma fã de HP

domingo, janeiro 14, 2018


Finalmente foi lançado o aguardado fan-film Voldemort: Origins of the Heir, de produção independente e que gerou um rebuliço entre os fãs da saga Harry Potter desde que foi anunciado meses atrás. A produção, que teve autorização da Warner Bros (que detém os direitos sobre a saga Harry Potter) desde que não houvessem fins lucrativos, foi lançada no Youtube ontem a noite e desde então tem recebido várias críticas. Em meio a tudo isso, resolvi compartilhar um pouco das minhas impressões com vocês. Bora lá?

Antes de qualquer coisa, vamos falar sobre o primeiro teaser, lançado sete meses atrás:


Nesse teaser nos foi apresentado um pouco do enredo do filme, e me lembro de ter ficado bastante curiosa quando vi – e animada, claro! Afinal, estava sendo produzido conteúdo sobre o universo Harry Potter, que tanto amo, onde era prometido ser contada a história do Lord Voldemort, grande vilão da saga. Isso criou uma expectativa enorme uma vez que a adaptação feita pela Warner da obra onde essa história foi contada omite diversas partes da vida de você-sabe-quem. No livro Enigma do Príncipe vemos, através das memórias coletadas por Dumbledore ao longo de anos, detalhes sobre a família, infância e adolescência de Voldemort que nos apresentam parte de quem ele realmente é.
Mas e aí, o fan-film conseguiu contar essa história? Não. E para mim, esse é o principal problema do filme. Tem muita gente aí criticando a atuação, os efeitos especiais, ou a redublagem utilizada – que é realmente horrível – mas acredito que tudo isso é entendível pelo baixo orçamento da produção. Na verdade, eu até acho que estão de parabéns pelo que conseguiram fazer com o que tinham no quesito cinematográfico. Mas quanto ao enredo, acho que poderia ter sido bem melhor.

Além do filme não cumprir com o objetivo proposto, acredito que 52 minutos foi tempo demais para uma história que podia ser contada em 30. Os diálogos são, em alguns pontos, maçantes. E a incoerência de alguns fatos apresentados dentro do filme deixa qualquer fã de Harry Potter inconformado. Acho importante comentar que esse não foi o primeiro filme produzido por fãs do universo HP: dá pra encontrar vários pelo youtube afora. Por isso acredito que toda a expectativa gerada em torno dessa produção em específico nos fez imaginar que algo bem melhor estava sendo feito. 
Me esforcei ao máximo aqui para não contar spoilers sobre o filme pois acho que, apesar das opiniões diversas, vale a pena assistir. Dá o play aqui embaixo e tirem suas próprias conclusões:


E aí, o que acharam de Voldemort: Origins of the Heir?

Me contem nos comentários!

xoxo

literatura

Lola and the boy next door (Stephanie Perkins)

sexta-feira, janeiro 12, 2018


A primeira resenha literária de 2018 aqui no blog será sobre um livro que li desde o verão passado, mas acabei adiando pra falar por aqui. Lola and the boy next door (Lola e o garoto da casa ao lado, na versão brasileira), é o segundo livro da autora Stephanie Perkins, a mesma do livro "Anna e o beijo francês", que já resenhei aqui no blog há muuuito tempo atrás - em 2014 pra ser mais exata. Dessa vez resolvi encarar um livro da autora em seu idioma original, e acredito que esse foi o livro em inglês mais longo que já li até então, o que é ótimo! Sempre lia livros mais curtos no tempo em que eu estudava inglês, e não praticar essa leitura constantemente acabou me deixando meio enferrujada. Porém, ao ver uma promoção dessa edição do livro decidi comprar e valeu super a pena.


A protagonista da história é a Lola, uma garota de 17 anos filha de um casal gay e apaixonada por roupas e acessórios diferentes do comum, como perucas e trajes que ela mesma confeciciona. Ela namora o Max, um cara mais velho e integrante de uma banda, e luta pela aprovação do namoro por parte dos pais dela. Eles acompanham de perto esse relacionamento e muitas vezes não permitem que ela saia com o Max, o que a deixa bastante irritada. Esse parece ser o maior problema de Lola, até que uma pessoa do seu passado retorna a sua vida: Cricket Bell. 


A família Bell foi vizinha da Lola por muito tempo, e tem como estrelas da casa os gêmeos Cricket e Calliope, seres brilhantes e bem sucedidos. Eles ocupam uma parte do passado de Lola, tendo deixado lembranças não muito agradáveis em sua memória. Isso faz com que o retorno da família após alguns anos distantes mecha muito com a mente da Lola, trazendo várias questionamentos, inseguranças e sentimentos diferentes dentro dela. 


"Poderia o garoto do seu passado ser o amor do seu futuro?"

Sendo bem sincera o enredo não me prendeu de início, mas depois acabei me encantando com os personagens e me envolvendo na trama. É um livro leve de ler, ótimo para as tardes de férias de verão. Em relação ao nível de inglês, acredito que alguém intermediário no idioma consegue ler de boas. Aprendi novas palavras com o livro (o que me exigiu o uso do dicionário em alguns pontos), mas nada que tornasse a leitura cansativa. Recomendo pra quem está querendo melhorar no reading!

Quanto ao material do livro e diagramação, considero bem ruinzinha. Essa edição publicada pela Speak é uma versão econômica, o que justifica um pouco a baixa qualidade na confecção. As folhas são de um material parecido com jornal e a capa bem mole, fácil de amassar. Além disso, se vocês olharem bem na foto da capa vão perceber que o efeito brilhoso que tentaram dar nas letras acabou sendo posto errado, o que faz com que pareçam duplicadas (reparem no Stephanie com dois "e" no final). Mas esses detalhes não dificultaram a leitura, pois a fonte escolhida é boa e o espaçamento entre as linhas também. 

                                 ISBN 978-0-14-242201-4 Editora Speak Nota 4/5 Páginas 338

Curiosidade: alguns personagens de "Anna e o beijo francês" também aparecem neste livro. Adorei isso! 

Minha meta agora é ler Isla and the happily ever after, terceiro livro da autora!

Alguém aí já leu algum dos livros da Stephanie Perkins?

Compartilhem suas impressões nos comentários!

xoxo

música

52 álbuns em 52 semanas #11 + #12 MÊS DE NOVEMBRO E DEZEMBRO

quarta-feira, janeiro 10, 2018

Primeiramente, feliz ano novo! Uhuuu, 2018 chegou e com ele, o fim do desafio 52 álbuns em 52 semanas. Vou admitir que foi difícil, e que muitas vezes pensei em desistir do desafio por que o compromisso de ouvir e compartilhar tantos álbuns com vocês foi algo totalmente novo pra mim. Entretanto eu adorei a experiência, principalmente por que música nunca foi um assunto comum aqui no blog antes do desafio. Após todos esses posts, com certeza pretendo continuar falando da temática aqui (mas não com a mesma periodicidade). Enfim, vamos aos álbuns!


Como neste último post tenho 10 álbuns pra compartilhar com vocês, vou simplesmente adicioná-los em lista abaixo + vídeo da minha faixa favorita do álbum:

Título: Recovery
Artista: Eminem
Lançamento: Junho de 2010
Gênero: Hip-Hop









Título: Revival
Artista: Eminem
Lançamento: Dezembro de 2017
Gênero: Hip-Hop



Título: Synthesis
Artista: Evanescence
Lançamento: Novembro de 2017
Gênero: Rock/Eletrônica




Título: Listen
Artista: The Kooks
Lançamento: Setembro de 2014
Gênero: Indie Rock







Título: Best of Epica
Artista: Epica
Lançamento: Outubro de 2013
Gênero: Metal \ Gothic Metal

Título: Day of the Gusano
Artista: Slipknot
Lançamento: Setembro de 2017
Gênero: Heavy Metal \ Metal Alternativo




Título: Vault
Artista: STPFKR
Lançamento: Fevereiro de 2017
Gênero: Indie \ Alternativa








Título: Woodstock
Artista: Portugal. The Man
Lançamento: Junho de 2017
Gênero: Indie \ Alternativa





Título: Highway to Hell
Artista: AC/DC
Lançamento: Julho de 1979
Gênero: Rock and Roll, Hard Rock, Heavy Metal




Título: Lust for Life
Artista: Lana del Rey
Lançamento: Julho de 2017
Gênero: Alternativa\Indie







É isso pessoal!
Espero que todos nós tenhamos um ano incrível e cheio de músicas legais pra ouvir!
Me contem nos comentários a música que não sai da sua cabeça no momento <3
xoxo

Pinterest