cinema

Crítica: Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

quarta-feira, novembro 14, 2018


NÃO CONTÉM SPOILERS

O segundo filme da nova saga Animais Fantásticos, pertencente ao mesmo universo de Harry Potter, finalmente está chegando aos cinemas. Venho aqui escrever esse post após ter assistido ao filme duas vezes: a primeira vez na última segunda-feira, em uma sessão fechada para convidados promovida pelo Espaço Z em parceria com fã-clubes, veículos da impressa e influenciadores; e a segunda vez ontem, na pré-estréia do Shopping Rio Mar. Ter assistido ao filme duas vezes faz toda a diferença para escrever as opiniões que aqui estou deixando, pois após a primeira vez que vi o filme, me senti simplesmente sem palavras. Não sabia dizer se havia gostado ou não gostado da produção, e a minha cabeça de fã estava a mil. Mas após a segunda vez, consegui observar mais detalhes e entender melhor a proposta que a autora J.K. Rowling quis trazer para essa nova aventura do Newt Scamander.


Avaliando o que havia sido mostrado nos trailers, o filme entrega mais do que estávamos esperando. A coisa vai muito além do que a inserção de novos personagens na saga, como Dumbledore e Nagini. Temos nas telas uma narrativa repleta de reviravoltas, com revelações de nos fazer cair o queixo. E mais uma vez, um enredo que nos faz criar milhares de teorias.
Como não quero dar spoilers falando muito sobre a história do filme, vamos à outras observações. Primeiro de tudo, pra acalmar os fãs que ainda não assistiram: o filme está lindo. Os efeitos especiais estão incríveis, e eu gostei bastante do jogo de câmeras escolhido, com exceção de algumas poucas cenas. Gostei muito da iluminação, e a trilha sonora está de parabéns.
Também gostei muito de como os animais fantásticos foram inseridos na história. Dessa vez eles realmente fizeram parte da trama. Sobre os novos personagens, sinto que alguns ficaram um pouco deslocados no enredo, mas nada que torne o filme ruim. De maneira geral, o título conseguiu ter uma história envolvente, que prende você até o fim.


Queria fazer um destaque especial para o Jacob. Pra mim, o ator Dan Fogler teve a melhor atuação da trama, trazendo momentos descontraídos e expressões típicas de Rony Weasley, haha. Ri muito com ele e me apaixonei ainda mais pelo personagem!
Bom pessoal, acredito que já falei tudo o que podia falar sem entregar demais do filme pra vocês. Apartir da manhã vocês já poderão assistir em todos os cinemas do Brasil, e tirar suas próprias conclusões. Me contem nos comentários quais foram as suas impressões sobre este filme!

wishlist

Wishlist: Baginning

terça-feira, novembro 13, 2018

Quem aí é louca por bolsas levanta a mão o/ Por mim eu usava uma diferente em cada look, hehe Por isso fiquei animadíssima quando a Baginning me convidou para apresentar a loja online deles pra vocês. O site é recheado de bolsas lindas! E pra te apresentar essas belezuras, resolvi fazer uma lista de desejos repleta de modelos lindos que você pode encontrar no site da loja.


As bolsas transparentes são as queridinhas do momento, não é mesmo? Acho super fofas, e o mais legal é que dá pra ousar com os forros coloridos. A Baginning tem essa opção em várias cores, e você pode comprar clicando aqui.


Gosto muito desse modelo de bolsa por ser super prático e por caber muita coisa. Elas são ótimas para usar na faculdade, quando você está carregando vários livros mas não quer estragar o look com uma mochila. Adorei muito também esse tom de rosa <3 E o melhor: esse modelo está em promoção! Confira detalhes clicando aqui.


Outra tendência do momento são as bolsas de palha! Achei essa linda, e como sou fã de bolsas grandes adorei o tamanho dela. O lacinho dá um charme especial! Compre clicando aqui.



Por fim, fiquei desejando esta bolsa mais clássica, mas que não deixa de ser estilosa. Sou fã de verde militar, então por isso adorei esta, mas o site tem ela disponível em várias cores! Confira clicando aqui.

É isso pessoal! Não deixem de conferir o site da Baginning para mais modelos lindos!

comportamento

Vivendo sob o rótulo da ansiedade

quarta-feira, novembro 07, 2018


Os últimos meses tem sido conflituosos, e sinto que não só para mim, mas para a humanidade como um todo. Acho que chegamos em um ponto onde a sociedade não consegue mais respirar no mesmo ritmo: tá cada um de um jeito. Tem gente vivendo em sua bolha, e que consegue ficar de boas com tudo; tem gente que mesmo fora da bolha aprendeu a respirar e praticar o deboísmo; e tem gente, MUITA gente, que desenvolveu transtorno de ansiedade e outros problemas e vive com o coração apertado. Tem muito mais tipos de gente por esse mundão também, mas eu me enquadro nesse terceiro tipo que descrevi. E isso me afetou muito nesse ano. 


Descobri que eu sou conhecida por ser ansiosa. Eu sou a minha ansiedade, ou pelo menos é assim que as pessoas me veem. Eu confirmei isso na minha apresentação de TCC: quando o meu próprio orientador, num momento de avaliação, colocou a minha ansiedade como parte do meu processo de construção daquele trabalho, frente outras questões que nada envolviam esse "problema" ou a doença em si. Daí beleza, eu fui aprovada no meu curso, fiquei feliz, mas aquilo ficou na minha cabeça... "Sério que tudo o que faço é visto sob o espelho da minha ansiedade? Que todas as minhas ações são um reflexo disso?". 
Daí veio a aula da saudade. Discursos sobre cada um dos colegas de turma, e mais uma vez... páh! A minha marca, o que ficou registrado na galera que conviveu comigo durante 4 anos, foi o quanto eu sou ansiosa. Nossa, isso ficou na minha mente por dias. E sabe, eu não culpo ninguém por isso. Nem me culpo também. Mas daí comecei a pensar no que faz todo mundo me enxergar assim. 


Eu sempre fui muito aberta sobre os meus "problemas" psicológicos. Nunca escondi que tenho ansiedade, que faço terapia, que tomo medicação. Divido essa parte da minha vida com as pessoas assim como divido as minhas alegrias, realizações, etc. Só que o que tenho observado é que ansiedade ainda é tabu. Mesmo nos dias de hoje, com Augusto Cury vendendo milhões de livros sobre o tema por aí. Com tantos artigos sobre isso na internet, e sobretudo com tanta gente sofrendo dessa doença. 
Eu sou enxergada como uma pessoa ansiosa por quê eu não escondo que sou ansiosa. Por quê eu agarro a mão do meu amigo e digo "estou entrando em crise, me ajuda". Por quê eu não tenho medo de falar sobre o assunto. E por quê as pessoas ainda não entenderam que ansiedade é algo que faz parte da vida de muita gente, e que precisa de atenção. As pessoas com ansiedade, depressão, síndrome do pânico ou o que seja, precisam ser ouvidas. E precisam ser tratadas como qualquer outra pessoa.  Uma doença pode ser uma parte de você, mas ela não te define.  
Espero que se você sofre de algum transtorno psicológico, você consiga se enxergar para além dele. E eu peço a você, que está ao lado de alguém que sofre dessa realidade, que olhe para essa pessoa para além do momento que ela está passando. Enxergue o que está lá dentro, a sua personalidade, as suas habilidades... 
Eu vou continuar assim, sem me esconder, por quê um dia quero me livrar disso. Quero poder respirar tranquila também. E por isso divido o meu fardo com você, com meus amigos, com minha família. Por quê a gente tá aqui pra se ajudar. E é assim que um dia tudo vai ficar bem ❤️

Pinterest