Vivendo sob o rótulo da ansiedade

quarta-feira, novembro 07, 2018


Os últimos meses tem sido conflituosos, e sinto que não só para mim, mas para a humanidade como um todo. Acho que chegamos em um ponto onde a sociedade não consegue mais respirar no mesmo ritmo: tá cada um de um jeito. Tem gente vivendo em sua bolha, e que consegue ficar de boas com tudo; tem gente que mesmo fora da bolha aprendeu a respirar e praticar o deboísmo; e tem gente, MUITA gente, que desenvolveu transtorno de ansiedade e outros problemas e vive com o coração apertado. Tem muito mais tipos de gente por esse mundão também, mas eu me enquadro nesse terceiro tipo que descrevi. E isso me afetou muito nesse ano. 


Descobri que eu sou conhecida por ser ansiosa. Eu sou a minha ansiedade, ou pelo menos é assim que as pessoas me veem. Eu confirmei isso na minha apresentação de TCC: quando o meu próprio orientador, num momento de avaliação, colocou a minha ansiedade como parte do meu processo de construção daquele trabalho, frente outras questões que nada envolviam esse "problema" ou a doença em si. Daí beleza, eu fui aprovada no meu curso, fiquei feliz, mas aquilo ficou na minha cabeça... "Sério que tudo o que faço é visto sob o espelho da minha ansiedade? Que todas as minhas ações são um reflexo disso?". 
Daí veio a aula da saudade. Discursos sobre cada um dos colegas de turma, e mais uma vez... páh! A minha marca, o que ficou registrado na galera que conviveu comigo durante 4 anos, foi o quanto eu sou ansiosa. Nossa, isso ficou na minha mente por dias. E sabe, eu não culpo ninguém por isso. Nem me culpo também. Mas daí comecei a pensar no que faz todo mundo me enxergar assim. 


Eu sempre fui muito aberta sobre os meus "problemas" psicológicos. Nunca escondi que tenho ansiedade, que faço terapia, que tomo medicação. Divido essa parte da minha vida com as pessoas assim como divido as minhas alegrias, realizações, etc. Só que o que tenho observado é que ansiedade ainda é tabu. Mesmo nos dias de hoje, com Augusto Cury vendendo milhões de livros sobre o tema por aí. Com tantos artigos sobre isso na internet, e sobretudo com tanta gente sofrendo dessa doença. 
Eu sou enxergada como uma pessoa ansiosa por quê eu não escondo que sou ansiosa. Por quê eu agarro a mão do meu amigo e digo "estou entrando em crise, me ajuda". Por quê eu não tenho medo de falar sobre o assunto. E por quê as pessoas ainda não entenderam que ansiedade é algo que faz parte da vida de muita gente, e que precisa de atenção. As pessoas com ansiedade, depressão, síndrome do pânico ou o que seja, precisam ser ouvidas. E precisam ser tratadas como qualquer outra pessoa.  Uma doença pode ser uma parte de você, mas ela não te define.  
Espero que se você sofre de algum transtorno psicológico, você consiga se enxergar para além dele. E eu peço a você, que está ao lado de alguém que sofre dessa realidade, que olhe para essa pessoa para além do momento que ela está passando. Enxergue o que está lá dentro, a sua personalidade, as suas habilidades... 
Eu vou continuar assim, sem me esconder, por quê um dia quero me livrar disso. Quero poder respirar tranquila também. E por isso divido o meu fardo com você, com meus amigos, com minha família. Por quê a gente tá aqui pra se ajudar. E é assim que um dia tudo vai ficar bem ❤️

Posts Relacionados

10 comentários

  1. Post muito lindo... você não é a sua doença(transtorno), você é uma pessoa maravilhosa e doce, fico feliz em poder dividir o seu fardo contigo, pode sempre conversar comigo, pode sempre agarrar minha mão.

    ResponderExcluir
  2. Sim, vai ficar tudo bem, e te desejo toda sorte e força do mundo! Espero que consiga se livrar dessa doença. Pelo o que escuto é algo muito desconfortável e que a pessoa fica sem chão, as pessoas precisam entender que é bom ajudar e ver que a pessoa não é só isso. Concordo com o que disse! Kissus

    ResponderExcluir
  3. Hoje ansiedade é um problema cada vez mais comum, mas ainda é visto como um tabu. Não há vergonha nenhuma em reconhecer suas limitações e procurar ajuda. Espero que sua ansiedade não te impeça de fazer coisas incríveis! Parabéns pela sinceridade do texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Torço para que deixe de ser um tabu e por isso me sinto inspirada a escrever sobre o tema <3

      Excluir
  4. Oii! :)
    Esse post é a certeza que não precisamos ter medo de assumir quem somos! <3
    Acho que depois desse período eleitoral ficou ainda mais claro que as pessoas discriminam tudo o que desconhecem e acham diferente.

    Espero que você fique bem e tenha sempre pessoas boas por perto! <3

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Michelly, essa eleição mecheu muito com as pessoas e suas relações! Muito obrigada pelo comentário fofo, Michelly! <3

      Excluir
  5. Acho que até certo ponto é bom as pessoas terem conhecimento sobre ansiedade a ponto de tomarem cuidado com pessoas que tem esse transtorno. Mas também acho muito errado definir as pessoas nessa "caixinha" da ansiedade.
    Eu sempre fui muito ansiosa, mas consigo manter isso só pra mim na maior parte do tempo, isso por diversas questões. Mas quando eu demonstro estar ansiosa de verdade as pessoas acham muito... estranho (rs).
    Não tenho problemas em dizer que tenho esse e muitos outros problemas. Mas me sinto mal por ser errada de forma diferente por isso.
    O texto está ótimo! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa né, as pessoas não deviam estranhar isso! Afinal é um problema cada vez mais recorrente. Ninguém estranha uma gripe, não é mesmo? haha Você não está errada em ser diferente, xuxu! Fico feliz que tenha gostado do post <3

      Excluir

Pinterest