Resenha: O sol é para todos (Harper Lee)

quarta-feira, março 06, 2019

Tô super atrasada com esse post por motivos de: o carnaval destruiu os meus planos. Fiquei sem uma conexão estável com a internet desde a última sexta-feira, e por isso acabei não conseguindo subir esse post. E pra completar, parece que estou com dengue ou uma de suas derivadas. Escrevo aqui com uma forte dor de cabeça, a pele coçando e uma moleza enorme no corpo. Mas vamos lá!
O sol é para todos foi uma das minhas leituras favoritas do ano passado, mas por algum motivo demorei pra vir aqui falar com vocês a respeito. As vezes sinto que é mais difícil falar sobre um livro clássico, ganhador de prêmios e super reconhecido, do que sobre outras leituras contemporâneas. Acho que isso se dá principalmente por dois motivos: primeiro por quê há uma sensação de que já falaram tudo o que se tinha pra falar sobre a obra (o que não é verdade, é claro. Uma obra como essa nunca se esgota); segundo, por quê sinto que a responsabilidade em escrever a respeito da obra é maior. Mas independente de qualquer dessas sensações, vamos lá conversar sobre essa grande obra da Harper Lee.


SINOPSE: O sol é para todos conta a história de duas crianças no árido terreno sulista norte-americano da Grande Depressão no início dos anos 1930. Jem e Scout Fincher testemunham a ignorância e o preconceito em sua cidade, Maycomb – símbolo dos conservadores estados do sul dos EUA, empobrecidos pela crise econômica, agravante do clima de tensão social. A esperta e sensível Scout, narradora da trama, e Jem, seu irmão mais velho, são filhos do advogado Atticus Finch, encarregado de defender Tom Robinson, um homem negro acusado de estuprar uma jovem branca. Mas não é só nessa acusação e no julgamento de Robinson que os irmãos percebem o racismo do pequeno município do Alabama onde moram. Nos três anos em que se passa a narrativa, deparam-se com diversas situações em que negros e brancos se confrontam. Ao longo do livro, os dois irmãos e seu pequeno amigo de férias, Dill, passam por tensas aventuras, grandes surpresas e importantes descobertas. Nos episódios vividos ao lado de personagens cativantes, como Calpúrnia, Boo Radley e Dolphus Raymond, aprendem e ensinam sobre a empatia, a tolerância, o respeito ao próximo e a necessidade de se estar sempre aberto a novas idéias e perspectivas.


O sol é para todos é uma história de gente grande contada por uma criança. Scout, uma menina encantadora, filha do advogado Atticus e irmã de Jem, narra o que parece ser uma vida pacata em uma cidade pacata. Mas as coisas que ali acontecem nos falam muito sobre a sociedade americana da década de 30 e suas complicações sociais e econômicas. 
A escrita de Harper Lee é magnífica, com personagens interessantíssimos e diálogos saborosos. A leitura me fez lembrar histórias da minha infância e das que ouvi dos meus pais e avós. E me fez sentir que aprendi alguma coisa através de cada um dos personagens envolvidos. Ao ler a obra, consegui sentir o peso que ela tem como influência na literatura americana: Harper Lee abriu as portas para discussões sobre as problemáticas abordadas nela, além de trazer um estilo de narrativa que muita gente tem tentado reproduzir. Consegui enxergar ali o Neil Gaiman e sua obra O oceano no fim do caminho, e até mesmo O meu pé de laranja lima do José Mauro de Vasconcelos. 
É um livro para se ler de novo, várias e várias vezes. Enquanto escrevo já sinto saudades, e penso que não irei demorar para fazer essa releitura. Talvez eu até volte aqui e escreva mais quando fizer isso. Mas enquanto não faço isso, deixo aqui alguns trechos como aperitivo:

"Atticus disse que quem tinha diploma estava pobre por que quem vivia da terra também estava". p. 32

"O que eu quis dizer foi que, mesmo se Atticus Finch bebesse até cair, não seria tão cruel quanto alguns homens mesmo quando estão completamente sóbrios. Tem gente que... se preocupa tanto com o outro mundo que não sabe viver nesse aqui, basta olhar na rua e ver o resultado." p. 62

"Scout, por causa da natureza da função que exerce, todo advogado assume pelo menos um caso que o afeta pessoalmente. Tenho a impressão de que esse é o meu. Você provavelmente vai ouvir coisas horríveis sobre isso na escola, então me faça um favor: levante a cabeça e abaixe os punhos. Não importa o que digam, não deixe que eles a façam perder o controle. Tente lutar com as ideias, para variar... mesmo que seja difícil." p. 101

"Os senhores sabem a verdade: alguns negros mentem, alguns negros são imorais, alguns negros não merecem a confiança de ficar perto das mulheres, sejam elas brancas ou negras. Mas essa verdade se aplica à raça humana, sem distinção. " p. 254 



SOBRE A AUTORA


Harper Lee (1926-2016) foi uma mulher reservada, e uma escritora de uma obra só. Publicou O sol é para todos em 1960, tornando-se sucesso de público e crítica, e desde então nunca mais lançou um livro até que fosse descoberto o Vá coloque uma vigia, escondido numa caixa, e lançado em 2015. Não era de dar entrevistas e faleceu por causas naturais numa clínica de idosos, mas será pra sempre lembrada por sua esplendorosa obra.


Editora: José Olympio
ISBN: 978-85-03-00949-2

Posts Relacionados

33 comentários.

  1. Malu, nossa, que vergonha de falar que nunca li! Seu post me deu uma vontade doida de comprar e abrir o livro agora haha Não dá pra fazer isso, mas com certeza vai entrar pra lista de to read.
    Adorei os quotes, deu ainda mais vontade de ler logo! Se eu não me engano minha mãe leu quando mais nova, quem sabe não tem na casa dela, vou procurar!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa ter vergonha disso, mulher! Eu mesma só vim ler no ano passado, e tenho vários outros clássicos não lidos. Mas fico feliz de ter te incentivado a adicionar o livro a sua lista! <3 Quando ler, volta aqui pra me contar as suas impressões.

      Excluir
  2. Que cotações fortes, hein!
    Não conhecia o livro e o título me lembrou muito o que um professor disse em aula, que o sol nasce para todos, e o dia é o mesmo para todo mundo e o que você faz dele, é o que te dá resultado no futuro.

    ResponderExcluir
  3. Mulher como assim dengue? Conta pra nós como vc está e se realmente confirmaram que é essa doença ou alguma derivada. SObre o livro, ele está na minha lista de leitura já tem um tempo, mas confesso que tenho um pequeno (grande) receio de ler livros premiados pq geralmente minhas expectativas vão lá para as alturas e geralmente me decepciono. Mas esse eu realmente quero ler ainda nesse mês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher, não cheguei a confirmar, mas como já tive dengue antes percebo que os sintomas foram os mesmos! Mas já estou bem melhor agora <3 Entendo essa sua relação com livros premiados, também acabo criando altas expectativas sobre eles! Mas esse supriu todas <3

      Excluir
  4. Sempre tive curiosidade em ler esse livro, mas não sei se me sinto preparada haha É uma temática que me pesa muito mas que me interessa demais. Amei sua resenha 💛

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado da resenha! Dá uma chance ao livro, acho que você vai gostar <3

      Excluir
  5. Oii! :)
    Estou doida para ler esse livro! E olha que eu não tinha lido nenhuma resenha sobre ele para não criar expectativas, rs.
    Concordo com você! É mais difícil escrever sobre livros que se tornaram tão grandiosos. Mas sinto que isso também me atrapalha quando se trata de livros que me conquistaram do início ao fim, sabe? Quando você acaba o livro completamente apaixonada é como se nada do que eu pudesse escrever fosse o suficiente para descrever a obra.
    Adorei o post! Não sei se estou pronta para leitura, mas espero conseguir ler em breve! :)

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Michelly! O pior é que no meu caso as duas coisas se enquadram, né? O livro é um clássico e eu amei, hehe Difícil descrever!

      Excluir
  6. Eu nunca li esse livro, mas vontade não faltou, a sua resenha está maravilhosa, acredito sim que escrever sobre livros grandiosos é uma tarefa difícil, mas você cumpriu a missão com maestria. Eu preciso ler esse livro e o seu post foi um belo puxão de orelha de o porquê eu ainda não li?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero saber o porquê, viu Carol? Corra logo pra ler! <3

      Excluir
  7. Sempre ouvir falar super bem desse livro mas nunca cheguei a ler, mas a autora é realmente incrível e a leitura também, escutei alguém lendo pois participava de um grupo de coral e tinha literatura então eu ia ver um amigo se aoreeapre e ele fazia o mesmo quando era no meu caso.

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Adorei a resenha, essa é daquelas que me dá vontade de ler livros que eu não leria por conta própria. O trabalho gráfico desse livro parece lindo, já quero um pra minha coleção, hehehehe.
    Abraços,
    Literalize-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiim, o selo José Olímpio arrasou nessa edição! Fico feliz que a resenha tenha te incentivado a ler a obra <3

      Excluir
  9. Eu tenho uns 3 livros com "sol" no nome e sempre acabo confundindo um com o outro. Jurava que este livro era outra história, que se passa na atualidade, mas já confundi com outro sol... rsrs
    Mas uma leitura bastante interessante. Quando crianças narram uma história parece que fica tudo mais impactante.
    Você selecionou ótimas citações.
    Bjuxxxxxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha, também tenho outro livro com "sol" no título!

      Excluir
  10. Já vi imagens desse livro pela internet, mas até então não tinha parado para ler uma resenha. A leitura deve ser muito gostosa e interessante. Eu achei genial por conta da autora ser escritora de uma só, até em 2015. Amei essa frase "Os senhores sabem a verdade: alguns negros mentem, alguns negros são imorais, alguns negros não merecem a confiança de ficar perto das mulheres, sejam elas brancas ou negras. Mas essa verdade se aplica à raça humana, sem distinção. "

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A leitura é mesmo muito gostosa! A Harper Lee arrasou com essa obra prima :)

      Excluir
  11. Eu sou doida pra ler esse livro, mas confesso que pareço ter alguma resistência com livros clássicos. Fico enrolando pra começar a ler, e não sei por que. Mas quero muito largar as desculpas e ler. Achei muito interessante a premissa do livro, que apesar de famoso, eu ainda não conhecia o enredo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora que conheceu um pouco a história, que tal dar uma chance a leitura? Juro que valerá a pena! As vezes também fico enrolando a leitura de clássicos ou livros com um alto "hype", mas eles acabam sempre me surpreendendo!(seja de forma positiva ou negativa, hehe)

      Excluir
  12. Moça, melhoras viu! Espero que o que quer que seja tu fique bem logo :) O livro não faz muito meu estilo, mas gostei da sua resenha e da forma que tu escreve, parabéns!!

    http://blink-moments.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, muito obrigada! Já estou me sentindo bem melhor agora :) E fico feliz que, mesmo não sendo o seu estilo de leitura, tenha apreciado a resenha! Beijão <3

      Excluir
  13. Oi, tudo bem? Sempre vejo muitos elogios sobre esse livro mas nunca tive curiosidade de saber qual era o tema. Mas agora depois da sua resenha já coloquei na minha listinha para este ano. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que adicionou o livro à sua lista, Érika! Fico feliz *-*

      Excluir
  14. Espero que ja esteja com a saude recurperada quando estiver lendo esta resposta. Ja ouvi falar deste livro mais não procurei para fazer a leitura. Gostei tanto da sua forma de falar dele aqui. Acredito que saber um pouco mais sobre o autor nos aproxima mais do conhecimento das suas obras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felizmente estou bem melhor sim, Luma! Muito obrigada <3 E fico feliz que tenha gostado da resenha!

      Excluir
  15. Socorro, dengue? Mulher, essa é uma das piores coisa pra se ter, tadinha! Espero que você melhore logo!

    Eu sou DOIDA PRA LER ESSE LIVRO, inclusive tenho aqui porque ganhei de aniversário uma vez, mas a procrastinação faz a coisa não andar nunca... É tão relevante ainda falar sobre racismo, seja ele velado ou não. Triste também, porque fica essa sensação de que a gente anda, anda e não sai do lugar, mas ainda assim bom ter essas histórias de referência. As citações que você escolheu, nossa, fiquei com mais vontade ainda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E já foi a segunda vez com a doença, acredita? Uó, mulher! Mas já estou bem melhor <3 Agora vamo parar de procrastinar e ler esse livro maravilhoso? Aproveita que já tem na estante e se agarra nele!

      Excluir
  16. Que trechos impactantes esses que você deixou. Eu já havia lido e assistido resenhas sobre esse livro, e só pela premissa dá pra ver que é muito atual, mesmo tendo sido escrito há bastante tempo. O racismo, infelizmente, ainda está totalmente impregnado na nossa sociedade!
    Oh, e eu espero que já esteja melhor quando ler esse comentário. Estou te mandando energias positivas!
    Adorei a resenha <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suas energias positivas me ajudaram muito, Luana, pois já estou bem melhor! Muito obrigada <3 E sim, o livro continua mesmo sendo bem atual! Infelizmente a sociedade ainda não mudou tanto nesse quesito. Fico feliz que tenha curtido a resenha!

      Excluir
  17. História bem interessante. Pelo resumo fiquei muito interessada na leitura. Obrigada pelas dicas maravilhosas. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há de quê! Fico feliz que tenha gostado <3

      Excluir

Pinterest